O que você precisa saber para começar a investir em ouro

investir em ouro post (2)

Ter uma carteira diversificada é essencial para todo investidor e contribui para aumentar as possibilidades de sucesso e rentabilidade. Para isso, investir em ouro é uma oportunidade que deve ser considerada, independentemente do perfil de risco e objetivos pessoais.

Trata-se de um ativo de alto valor e um dos mais seguros do mercado financeiro, o que oferece boas vantagens aos investidores — uma alternativa para a reserva de valor e proteção do patrimônio, principalmente em períodos de crises, volatilidade e inflação alta.

Assim como em qualquer investimento, conhecer melhor o assunto é essencial para desenvolver um planejamento eficiente. Pensando nisso, confira, neste post, informações valiosas e tudo o que precisa saber para investir em ouro e potencializar seus resultados!

Por que diversificar a carteira?

O mercado financeiro é um ambiente repleto de riscos e exige planejamento e estratégias certas para promover o sucesso nos investimentos. Sendo assim, avaliar todas as possibilidades para investir é fundamental na potencialização das chances de ter resultados satisfatórios.

Além disso, ao diversificar a carteira você tem a oportunidade de diluir os riscos e reduzir a suscetibilidade das oscilações do mercado. Portanto, ter ativos variados e investir em ouro é uma boa alternativa para ter lucros de acordo com seu planejamento, seja a curto, médio ou longo prazo.

Por que investir em ouro?

O ouro é tradicional no mercado financeiro e utilizado em negociações há centenas de anos, permanecendo como alvo de investimentos até os dias atuais.  É uma reserva de valor que oferece benefícios para a carteira, especialmente em períodos de inflação alta e oscilações mercadológicas.

Em outras palavras, investir em ouro é uma alternativa importante para períodos de instabilidade, por conta da segurança e possível valorização — o que explica o aumento das intenções de aplicações no metal por diversos bancos centrais no mundo, de acordo com a pesquisa realizada pelo World Gold Council.

Quais os riscos de investir em ouro?

Mesmo sendo considerado um investimento seguro, o ouro também é uma aplicação em que o valor pode variar diariamente. Sendo assim, comprar ou vender o metal exige estratégias, planejamento e acompanhamento contínuo da cotação no mercado para encontrar boas oportunidades.

Nesse contexto, os riscos referentes ao ouro estão relacionados à lei da oferta e procura, e valor do real em relação ao dólar. Fatores sazonais ou naturais que possam impactar na extração do metal também podem interferir no mercado e causar oscilações.

Além disso, o ouro é uma aplicação de alta volatilidade e pode exigir investimentos iniciais mais elevados, o que é mais indicado para perfis moderados e arrojados — com um bom conhecimento das estratégias de mercado e apoio profissional para direcionar o planejamento e decisões.

Como começar a investir em ouro?

Para investir em ouro é possível encontrar diversas possibilidades no mercado, de forma simples, segura e descomplicada. No entanto, é preciso realizar um estudo detalhado de cada opção para ter maior embasamento e escolher alternativas promissoras.

Nesse sentido, você pode investir em ouro nas seguintes formas:

  • Ouro em barra: aquisição de ouro físico, em barras, lingotes ou lâminas;
  • Certificado de Operações Estruturadas — COE: une produtos da renda fixa e variável;
  • Ações: o investidor pode adquirir ações de mineradoras que atuam na extração do ouro;
  • Fundos de Investimento: são contratos financeiros relacionados ao ouro, geridos por um profissional;
  • Contratos futuros na bolsa: ativos negociados na bolsa de valores.

Para ter segurança e tranquilidade, é essencial contar com corretoras confiáveis e apoio especializado para planejar o futuro financeiro de maneira eficaz. Assim, você pode começar bem e fazer aplicações com potencial para render lucros e elevar a possibilidade de sucesso.

Qual a tributação ao investir em ouro?

O ouro adquirido de instituições financeiras e considerado ativo tem incidência dos juros da renda variável, ou seja, existe a isenção do imposto de renda sobre os ganhos de capital até R$ 20 mil. Acima desse valor, o investidor paga uma alíquota de 15%.

No caso de investimentos em fundos, a tributação segue a alíquota regressiva do imposto de renda, de 22,5% a 15%, considerando o prazo do investimento. Para os investimentos ETF de ouro, a tributação é de 15% de acordo com o ganho de capital.

Vale a pena investir em ouro?

Embora seja um investimento que exige expertise no mercado, investir em ouro é uma boa oportunidade para diversificar a carteira e ter mais segurança no patrimônio, diluindo os riscos do mercado, principalmente durante momentos de instabilidade no cenário nacional e internacional.

Diante disso, analisar as possibilidades e considerar investir em ouro é algo que vale a pena para compor uma carteira diversificada e promissora. Trata-se de uma reserva de valor interessante para proteger o capital e aumentar o potencial para alcançar retornos significativos.

Entretanto, é importante acompanhar o mercado diariamente, planejar bem as decisões e contar com apoio especializado — fator que contribui para evitar transtornos e facilita identificar oportunidades compatíveis com os seus objetivos, tanto a curto, médio e longo prazo.

Como pode notar, investir em ouro é uma alternativa interessante e que deve ser analisada por todo investidor que deseja potencializar a carteira. Portanto, não deixe de estudar as opções e contar com apoio profissional para desenvolver um planejamento eficiente e multiplicar seu patrimônio.

Gostou do post? Agora que viu informações importantes sobre investir em ouro, não perca tempo e entre em contato conosco agora mesmo! Veja como podemos ajudar a planejar sua vida financeira e otimizar os investimentos!

Veja também: 

Como começar a investir em ações 

Siga nossas redes sociais: Instagram | Facebook | Linkedin

13 de outubro de 2021

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin